Todos nós já estivemos nesta situação. Estamos fazendo dieta, comportados, até que surgem os eventos. As datas comemorativas. A lista de questões sobre o tema é grande e começa com o bombardeio de comidas pelas mídias, como TV, sites, Facebook. Não tem jeito, nós celebramos com comida.

Datas comemorativas implicam comer tudo que “não pode” com a alegação de que é só uma vez ao ano. Os ovos na Páscoa, os bolos de aniversário, a Ceia do Natal etc. Além do senso comum nos dizer que o que engorda é o que comemos entre o ano novo e o Natal e não entre o natal e o ano novo, mas essa armadilha fica evidente quando se percebe que temos datas comemorativas toda semana. Essa linha de raciocínio de abrir exceção, vai te fazer sair de sua proposta no aniversário de cada membro da família, festa de aniversário dos filhos dos amigos, aniversário na firma, dia dos namorados, dos pais, das mães etc. Não caia nessa armadilha se enganando achando que é só uma vez. Tem uma Páscoa toda semana!!

Outro ponto importante é que não queremos ser excluídos, deixar de confraternizar, ser diferente. Fugir com medo da tentação. Isso é real e recomendável se você está no começo de uma mudança. Você recomendaria a um alcoólatra que vá na primeira semana de abstinência e que está frequentando o AA a ir num happy hour da empresa em um barzinho? Com certeza não. Mas acha que será assim pra sempre? Também não. Então dependendo da fase da dieta, precisamos evitar mas com a certeza que depois teremos que voltar a participar. Fugir do mundo não é a solução, arrumar nossa relação com a comida é que é.

Aguentar os palpiteiros também é outra questão das datas comemorativas. É a famosa frase “Lá vem você de novo com essas dietas”. Aí vale entender que temos culpa nisso. Quantas vezes nos viram falando que não estamos comendo doces e rejeitando um bolo de aniversário e na semana seguinte a mesma pessoa nos vê com a cara enfiada em um pudim? A nossa inconsistência, radicalismos e estando hora emagrecendo e hora engordando nos tira a credibilidade. E esta vem com o tempo. O melhor a fazer neste começo até este estilo de vida falar mais alto através dos seus resultados, é fazer valer a máxima “O que ninguém sabe, ninguém estraga”.

Participar a sua maneira. Este é o conselho final. Lembro me de um amigo vegetariano que ia pra churrasco da turma com seu “Kit”. Ele levava milho pra churrasqueira, queijo coalho, pimentão e acabava fazendo sucesso. Como todos sabiam que ele era vegetariano e não era a moda da semana, ele nunca era criticado, participava e se divertia com todos. Da mesma forma, quando a alimentação saudável fizer parte realmente da sua vida, tenha certeza que seus parentes farão receitas especiais para você, em restaurantes contarão com o fato que você não come macarronada e tudo ficará bem. Não porque você é diferente de uma forma pejorativa, mas porque todos sabem que você conseguiu o que muitos gostariam. Decidir que sua saúde e autoestima vem em primeiro lugar e em vez de criticar, vão te pedir dicas e conselhos.

Coach Teco Mendes

4M_CTA_eBook03_CompulsaoAlimentar