Quando falamos em hábitos, estamos falando de um “processo” que nosso cérebro tem de fazer coisas que fazemos repetidamente de forma mais automática e assim poupar mais energia.

Ele sempre tem algo que dá um início, como desligar a TV a noite para ir dormir, aí vem o processo em si, como escovar os dentes, e precisa de um fechamento, como o frescor na boca causado pelo creme dental (Que de acordo com o livro “O poder do hábito” de Charles Duhigg foi colocado no creme dental exatamente para criar este hábito de escovação).

Na ideia de criar hábitos saudáveis, cometemos um erro que é querer criar algo que faça a diferença, que dê um resultado rápido e eficiênte. Aí criamos metas que não se sustentam pela falta de adesão pelo período que é necessário para essa nova tarefa se transformar em hábito. Você já deve ter ouvido falar que para se criar um hábito, são necessários 21 dias. Quando escrevi a primeira vez sobre isso mencionei que nunca havia visto um estudo que demonstrasse isso, porque temos hábitos fortes, outros mais fracos, alguns há mais tempo e outros recentes. Outro dia achei a resposta. Vi um estudo que analisou vários hábitos e que para mudança ou formação de um novo ia desde alguns dias até mais de duzentos dias. Tudo colocado em um gráfico de desvio padrão, obteve-se o resultado de 66 dias para mudança ou criação de um novo hábito que cobria 95% dos casos. Então, esse é o número que deve-se ter em mente.

Estamos acostumados com rotinas estabelecidas e querer mudar isso precisa de uma energia inicial. Então um grande segredo é não fazer rotinas que precisem de muito esforço ou motivação. Por exemplo, ler 20 páginas de um livro todos os dias pode ser eficiente para te ajudar na meta que você fez no ano novo de ler dois livros por mês. Mas só de pensar em ler tudo isso, seu corpo e mente resistente a mudanças pode fazer você desistir no dia que chegar mais cansado do trabalho. Então, como o foco é criar novos hábitos e não cumprir a meta do ano novo, se propor a ler 2 páginas por dia fará com que você tenha muita adesão e, aos poucos sem perceber, vai se dando “ bônus” de ler algumas páginas extras e seu novo hábito de leitura vai se formando.

Com isso, você pode ter uma maneira simples de implementar bons hábitos e esses crescerem te dando muito resultado depois que você já estiver fazendo tudo sem esforço.

Então vamos as dicas!

1- Faça o básico! Ele não tem muita discussão.

Ficar vendo opiniões contraditórias por aí sobre alguns tópicos pode te tirar o foco. Então não fique preocupado com o chá de hibisco e faça o básico. A lei de Pareto ou 80 20. Que pequenas mudanças podem ter mais impacto e sem cair em muitas controvérsias? Diminuir drásticamente açúcar, processados, FastFood, farinha branca.

2- Não faça o famoso “Ou tudo ou nada”

Quem geralmente quer emagrecer ou está engordando porque saiu da dieta e já vai entrar em outra, ou está emagrecendo porque está fazendo dieta. Conforme expliquei, mesmo que você esteja comendo um bolo, pode tomar um cafezinho com adoçante stévia porque decidiu criar o hábito de não adoçar mais nada com açúcar. E fica fácil, mesmo que pra quem vê de fora não entenda por parecer não fazer sentido. Mantenha a proposta sempre. Chega de tudo ou nada. Este hábito saudável criado com o tempo se multiplicará em seu cérebro que busca por padrões.

3- Use uma forma de controle

Temos facilidade a esquecer das coisas quando o assunto é mudança, não é mesmo? Você já está criando hábitos que são pequenos e fáceis de fazer, então podem ser fáceis de esquecer. Controle com uma agenda, calendário aplicativo de celular.

4- Não se empolgue! Tenha até 3 bons hábitos alimentares por vez

Lembre-se que a ideia é adesão e tornar as pequenas tarefas como uma parte sem esforço de sua rotina. Tudo tem que ser pensando na simplicidade. Conforme você for adquirindo novos hábitos, continua o processo nesta melhoria contínua.

Coach Teco Mendes

4M_CTA_eBook02_ReeducacaoAlimentar