Perder peso e ficar magro comendo seis refeições por dia, em breve, pode tornar-se ultrapassado, dizem cientistas. A investigação científica tem mostrado como o jejum intermitente pode acelerar o processo de queima de gordura.

Os EUA se tornaram uma nação conhecida como comedores incessantes. Se você deseja adicionar anos para sua vida, você pode querer manter distância da cozinha com mais freqüência.

O jejum intermitente é definido como um ciclo de períodos de troca de ingestão calórica reduzida e consumo alimentar normal. É um padrão que os cientistas dizem que remonta aos nossos hábitos alimentares ancestrais, numa época em que os alimentos nem sempre estavam disponíveis. É um contraste com a maioria das dietas diárias modernas, onde o objetivo é reduzir a sua ingestão de energia diária, na esperança de que ele vai livrá-los de suas “dobrinhas”.

Um número crescente de pesquisadores está dizendo que o método de jejum intermitente é uma maneira certa para as pessoas derreterem o excesso de gordura. Um estudo publicado em 2015 no European Journal of Clinical Nutrition descobriu que o jejum intermitente dá uma taxa segura de perda de peso de 0,5 a 1,7 lbs / semana, juntamente com a diminuição da percentagem global de gordura corporal. Em outro estudo semelhante, na Baylor University (Waco, Texas) descobriu que o jejum em dias alternados de 3 a 12 semanas de duração, diminuiu tanto o peso corporal quanto a gordura corporal.

E é possível que os resultados possam ter um efeito duradouro. Ou seja, os cientistas na Austrália descobriram que 8 semanas de jejum intermitente não só poderia estimular a perda de gordura, mas também poderia evitar o acumulo de gordura nas próximas 44 semanas, mesmo quando os indivíduos foi dada total liberdade para suas escolhas alimentares. Os pesquisadores dizem que isso pode ter algo a ver com o fato de que o jejum intermitente tem um impacto sobre os hormônios da fome e dá-lhe a consciência do que é uma verdadeira fome física.

E as boas notícias continuam chegando. A pesquisa mostrou que o jejum intermitente tem uma maior taxa de aderência por pessoas que fazem dietas do que a maioria das outras dietas e mantém a massa muscular muito melhor. Houve também indicações de que o período de jejum intermitente pode melhorar a sua saúde cardíaca, reduzindo o colesterol, triglicérides, inflamação e pressão arterial. Alguns estudos dizem que também pode aumentar a produção de um gene ligado à sua longevidade e ajudar a melhorar a função do seu cérebro como você ficar mais velho. Reduzir a inflamação e o estresse oxidativo pode ser a razão pela qual jejum intermitente afia sua mente.

Até agora, concluímos que beneficia os músculos, a saúde geral e a matéria cinzenta cerebral. Mas como o jejum intermitente destrói a gordura de você? Parece que isso decorre da melhora da sensibilidade à insulina dentro do seu corpo. À medida que suas células se tornam mais sensíveis à insulina, o hormônio regulador do açúcar no sangue, o corpo começa a processar os alimentos de forma mais eficiente, tendo assim menor risco de armazenar gordura, mesmo consumindo mais calorias durante os períodos de não jejum. Esses benefícios foram a razão mais forte de que o jejum intermitente ganhou reputação como um inimigo do diabetes.

O jejum intermitente também instrui o corpo a dar prioridade à queima de gordura para a energia necessária durante períodos de escassez de reservas de carboidratos. E porque esta situação pode preservar o músculo já existente, não há nenhuma gota no metabolismo queima de gordura que é comumente encontrada em dietas de baixa caloria, que pode ao mesmo tempo causar uma queda na massa muscular do corpo. A pesquisa também mostrou que a maioria das pessoas que tentaram jejum intermitente não comeram demais quando os dias sem jejum, o que realmente cria um melhor déficit de calorias. Imagine quanto tempo você poderia economizar, com menos planejamento de refeições e preparação de alimentos em sua programação.

Aqui estão cinco dicas sobre como você pode aplicar jejum intermitente para a sua vida:

Plano de jejum

Um plano popular é comer normalmente cinco dias por semana, digamos de segunda a sexta-feira e, em seguida, diminuir a ingestão de calorias para cerca de 25%, cerca de 500 a 800 calorias nos dois dias restantes, sábado e domingo. Isso irá salvá-lo da agonia de não comer nada em dias de jejum e torna a dieta inteira muito mais sustentável a longo prazo.

Outro plano sugere que você fique sem comer nada por um ou dois períodos de 24 horas por semana, independentemente de quais dias você escolher. Um método rápido poderia ser usado se você quiser facilitar em jejum intermitente, onde você só pode comer dentro de um período de 8 horas, em seguida, 16 horas no meio, ou simplesmente jejum nas noites, ignorando jantar ou comer em quantidades menores.

Consumir calorias de qualidade

Se a sua rotina consiste em simplesmente comer menos em determinados dias, fazer a contagem dessas calorias, provenientes de alimentos que saciam que também são nutrientes densos, como grãos integrais, legumes, legumes ricos em fibras, peixe etc, o que significa alimentos que têm muitos nutrientes em relação ao número de calorias que eles fornecem. Você também deve estar bebendo muito líquido, principalmente água, a fim de ficar hidratado quando você não está consumindo alimentos que contenham água.

Coma limpo

Lembre-se que você só “tira fora” a gordura se você não “abusar” nos períodos que não estiver de jejum. Sua nova “dieta normal” deve ser preenchida com alimentos integrais, não junk food. No entanto, jejum intermitente pode ser mais indulgente do que outras dietas, por isso não precisa se preocupar muito com a quantidade de calorias que você está consumindo.

Paciência é uma virtude

O jejum intermitente é um processo que seu corpo pode levar algumas semanas para se adaptar. Assim, para quaisquer efeitos colaterais que possam entrar em jogo, como a fome incontrolável, nevoeiro cerebral, humor ou crises de baixa energia, tenha em mente que estes irão diminuir com o passar do tempo.

Continue a treinar

Dias de jejum não serão uma desculpa para não se exercitar. Pelo contrário, a pesquisa mostra que curtos períodos de jejum pode atrapalham o desempenho, e o exercício pode matar o apetite temporariamente. Mas o senso comum deve prevalecer. Se você está ficando um pouco tonto, você pode querer reprogramar a sessão de agachamento para algum outro dia.

(Texto original Fitness & Power)

4M_CTA_eBook01_CoachingEmagrecimento