Como mencionei no último post, quem busca emagrecimento espera que seja rápido. A linha de raciocínio por trás deste pensamento não é difícil de entender. Estar acima do peso para muitos influencia na autoestima, saúde, relacionamentos, autoimagem, enfim, é um problema real que afeta diretamente a felicidade. Portanto, “quanto mais rápido for a solução, mais rápido eu volto a ser feliz”. Comparando com uma doença, que, por exemplo, não te permita sair da cama, se o médico te perguntar se você quer uma cura rápida, a resposta certamente será que sim. Você quer voltar a andar para voltar a ser feliz.

A grande questão é que no emagrecimento o peso extra não é o problema, ele é um sintoma de um problema. Focar em emagrecer rápido nem sequer altera a felicidade por muito tempo, porque assim que você emagrece, após a dose de radicalismo como uma dieta restritiva, remédios, spa, quando esses “arrumadores de sintomas” forem abandonados e já com simples com 500g a mais na balança mostrando que você voltou a engordar com a compulsão nas alturas, sua felicidade já vai embora porque você vai estar na batalha que sempre lutou e perdeu. Já prevê o que está lá na frente: um você ainda maior e mais pesado com a sensação de fracasso e derrota. Os 500g viram 5kg em questão de dias. Todos nós passamos por isso e todos nós voltamos inocentemente a acreditar no milagre que desta vez será diferente. Eu mesmo costumava a dizer quando tomava remédio “quando estiver magro sem remédio, será mais fácil porque é só manter”. Ledo engano.

A solução real é mudar o que realmente importa: nossa relação com a comida. Nosso autoconhecimento sobre as coisas que comemos sem controle, o que nos engorda, os alimentos que nos deixam literalmente viciados. Principalmente, o que é verdade em um meio onde a cada dia surgem notícias novas de descobertas que acabam em todos os sites, as diferentes informações até dos profissionais da saúde e o que é pior, uma sociedade que só considera quem tem problema com peso quem é obeso mórbido.  Menos que isso somos todos sem vergonha gulosos e preguiçosos, porque o certo é “comer menos e se exercitar mais”. Ah, e tem também a máxima “se comer pouco pode comer de tudo”. Essa eu adoro, vontade de chegar em uma reunião do AA, onde tem pessoas com relacionamento ruim com álcool e dizer: “tenho a solução, é só beber com moderação”. Não faz sentido.

A felicidade então não é emagrecer rápido. Isso até é fácil. É emagrecer definitivamente, voltar a se sentir bem, conseguir falar “não” para as comidas que sempre te fizeram mal, mudar de dentro pra fora e não “ser emagrecido” cuidando de um sintoma. E quando você volta a sentir que o poder está dentro de você novamente, você não vai precisar perder todo peso extra pra voltar a ser feliz de novo. A felicidade vem antes, no meio do processo com a certeza que você está no caminho certo e tudo ficará bem no final.

Teco Mendes – Coach

 

4M_CTA_eBook02_ReeducacaoAlimentar