Você já ouviu, eu já ouvi, todos já ouvimos. A culpa é da genética porque meus pais são obesos, meu metabolismo é lento porque como pouco e não emagreço, tenho hipotireoidismo e não consigo emagrecer. Tudo balela! E antes de você ficar bravo comigo porque além de ouvir, você também já falou essas frases, se segura que juro que já vou explicar.

Coisas que menos ouvimos e são verdades: Tenho dificuldade para emagrecer porque durmo mal, vivo estressado, tomo medicamentos que influenciam no metabolismo, ovário policístico, problema adrenal, menopausa, depressão. Essa parte é menos balela.

Não. Não estou falando que um conjunto de problemas listado é menos importante que o outro e por isso um é balela e outro não. É que como as características mencionadas no primeiro parágrafo são as desculpas mais conhecidas, acabam por muitas vezes sendo isso mesmo, desculpas. Engordou por hipotireoidismo, cuide da tireoide, o  ganho de peso é um dos sintomas e você deve estar sofrendo muito com outras coisas também. Vá tratar a causa, já que você sabe o que é. Tem pais obesos? Cuide-se mais ainda. Não dá pra mudar a genética, mas uma tendência não determina seus resultados. E por aí vai.

O grande ponto é que se por algum motivo circunstancial de saúde, você está tendo a consequência  de ganho de peso ou dificuldade no emagrecimento, o ataque principal deve ser na doença e cuidar da saúde com um médico capacitado. Há muitos outros sintomas e problemas além da calça apertada.

Cuidados e prevenção são as palavras de ordem. O atual ambiente não ajuda. Nossos ancestrais não precisavam fazer esforços para viver sem poluição, comer comida saudável e de verdade em vez de fast foods, dormir bem sem ficar na internet até tarde, fazer caminhadas e exercícios ou viver em uma correria estressante. Poderiam ser passivos com relação a tudo e ter uma saúde otimizada sem as chamadas doenças da modernidade porque os hábitos saudáveis eram inerentes ao dia a dia. Temos sim mais recursos e tecnologias, remédios e ciência, mas parece que vivemos para usar essas ferramentas o mais cedo possível em nossas vidas. Melhoramos de um lado, pioramos em outro. Cuidamos das doenças em vez de cuidar da saúde.

Qual a saída? Temos que ter uma vigilância ativa sobre nosso estilo de vida porque caso contrário, a comodidade de usar carro para ir em todos os lugares, comer comidas embaladas e com açúcar e gordura trans (para durar 5 anos nas prateleiras) cujo comercial na TV te hipnotizou e outras ações, que são fatores cruciais para a saúde, farão parte da sua vida sem você mesmo perceber.

Comece visitando um bom médico e fazer exames e check ups. Depois, faça algo pequeno na direção correta. Um bom hábito que se multiplicará no seu estilo de vida. Mesmo que você ache que dar apenas uma volta no quarteirão ao dia não terá influência na saúde em geral, esta pequena ação terá muito poder em seu cérebro que tem a tendência a multiplicar padrões. Logo você estará dando duas voltas, três, cuidando da alimentação, abandonando um vício etc. Você sabe que não custa tempo nem esforço e assim as chances de desistir, como fez com a academia que já largou, são bem menores. O primeiro passo é necessário e toda jornada, por mais que seja longa, começa com ele.

Coach Teco Mendes

4M_CTA_eBook01_CoachingEmagrecimento