Dietas cetogênicas tornaram-se incrivelmente populares.

Pesquisas sugerem que esta dieta com alta quantidade de gordura e low carb pode beneficiar diversas condições de saúde.

Embora algumas das provas sejam de estudos de casos e pesquisas em animais, os resultados de estudos controlados por humanos também são promissores.

Publicaremos em três posts 15 condições de saúde que podem se beneficiar de uma dieta cetogênica.

1. Epilepsia

A epilepsia é uma doença que provoca convulsões devido à atividade cerebral excessiva.

Medicações são eficazes para algumas pessoas com epilepsia. No entanto, outros não respondem às drogas ou não podem tolerar seus efeitos colaterais.

De todas as condições que podem se beneficiar de uma dieta cetogênica, a epilepsia tem, de longe, a maior evidência que a sustenta. Na verdade, existem várias dezenas de estudos sobre o tema.

Pesquisas mostram que as crises normalmente melhoram em cerca de 50% dos pacientes com epilepsia que seguem a dieta cetogênica clássica. Isso também é conhecido como uma dieta cetogênica 4:1, pois fornece 4 vezes mais gordura que as proteínas e carboidratos combinados.

A dieta de Atkins modificada (MAD) baseia-se numa relação 1:1 consideravelmente menos restritiva de gordura para proteína e carboidratos. Tem sido demonstrado ser igualmente eficaz para o controle de crises na maioria dos adultos e crianças com mais de dois anos de idade.

A dieta cetogênica também pode ter benefícios no cérebro além do controle de crises.

Por exemplo, quando os pesquisadores examinaram a atividade cerebral de crianças com epilepsia, encontraram melhorias em vários padrões cerebrais em 65% dos que seguiam dieta cetogênica – independentemente de terem menos crises.

2. Síndrome Metabólica

A síndrome metabólica, por vezes referida como pré diabetes, é caracterizada pela resistência à insulina.

Você pode ser diagnosticado com síndrome metabólica se você atender a qualquer um destes critérios:

Cintura grande: 89 cm ou mais em mulheres e 102 cm ou mais em homens.

Triglicéridos elevados: 150 mg / dl (1,7 mmol / L) ou superior.

Baixa HDL colesterol: Menos de 40 mg / dL (1,04 mmol / L) em homens e menos de 50 mg / dL (1,3 mmol / L) em mulheres.

Pressão arterial elevada: 130/85 mm Hg ou superior.

Nível elevado de açúcar no sangue em jejum: 100 mg / dL (5,6 mmol / L) ou superior.

As pessoas com síndrome metabólica estão em maior risco de diabetes, doenças cardíacas e outras doenças graves relacionadas à resistência à insulina.

Felizmente, seguir uma dieta cetogênica pode melhorar muitas características da síndrome metabólica. Melhorias podem incluir melhores valores de colesterol, bem como a redução do açúcar no sangue e da pressão arterial.

Num estudo controlado de 12 semanas, as pessoas com síndrome metabólica em uma dieta cetogênica com restrição calórica perderam 14% de sua gordura corporal. Eles diminuíram os triglicerídeos em mais de 50% e experimentaram várias outras melhorias nos marcadores de saúde.

3. Doença do armazenamento do glicogênio

As pessoas com doença de armazenamento de glicogênio (GSD) não possuem uma das enzimas envolvidas no armazenamento de glicose (açúcar no sangue) como glicogênio ou quebra de glicogênio em glicose. Existem vários tipos de GSD, cada um com base na enzima que está faltando.

Tipicamente, esta doença é diagnosticada na infância. Os sintomas variam dependendo do tipo de GSD, e podem incluir fraco crescimento, fadiga, baixo nível de açúcar no sangue, cãibras musculares e um aumento do fígado.

Pacientes com GSD são frequentemente aconselhados a consumir alimentos ricos em carboidratos em intervalos freqüentes de glicose é sempre disponível para o corpo.

No entanto, as primeiras pesquisas sugerem que uma dieta cetogênica pode beneficiar as pessoas com algumas formas de GSD.

Por exemplo, GSD III, também conhecida como doença de Forbes-Cori, afeta o fígado e os músculos. Dietas cetogênicas podem ajudar a aliviar os sintomas, fornecendo cetonas que podem ser usadas como uma fonte alternativa de combustível.

GSD V, também conhecida como doença de McArdle, afeta os músculos e é caracterizada por uma capacidade limitada de exercício.

Em um caso, um homem com GSD V seguiu uma dieta cetogênica por um ano. Dependendo do nível de esforço necessário, ele experimentou um aumento de 3 a 10 vezes na tolerância ao exercício.

No entanto, estudos controlados são necessários para confirmar os benefícios potenciais da dieta dieta cetogênica em pessoas com doença de armazenamento de glicogênio.

4. Síndrome dos ovários policísticos

Síndrome do ovário policístico é uma doença marcada por disfunção hormonal que muitas vezes resulta em períodos irregulares e infertilidade.

Uma das suas características é a resistência à insulina, e muitas mulheres com SOP são obesas e com dificuldade de perder peso. As mulheres com SOP também estão em um risco aumentado de diabetes tipo 2.

Aqueles que atendem aos critérios para a síndrome metabólica tendem a ter sintomas que afetam sua aparência. Os efeitos podem incluir aumento dos pêlos faciais, acne e outros sinais de masculinidade relacionados com níveis mais elevados de testosterona.

Um monte de provas anedóticas podem ser encontradas on-line. No entanto, apenas alguns estudos publicados confirmam os benefícios de dietas baixas em carboidratos e cetogênicos para SOP.

Em um estudo de seis meses em onze mulheres com SOP após uma dieta cetogênica, a perda de peso foi em média 12%. A insulina em jejum também diminuiu em 54% e os níveis de hormônio reprodutivo melhoraram. Duas mulheres que sofriam de infertilidade ficaram grávidas.

5. Diabetes

Pessoas com diabetes muitas vezes experimentam reduções impressionantes nos níveis de açúcar no sangue em uma dieta cetogênica. Isto é verdade tanto para o tipo 1 como para o diabetes tipo 2.

De fato, dezenas de estudos controlados mostram que uma dieta muito baixa em carboidratos ajuda a controlar o açúcar no sangue e também pode fornecer outros benefícios para a saúde.

Em um estudo de 16 semanas, 17 de 21 pessoas em uma dieta cetogênica foram capazes de descontinuar ou diminuir dose de medicação para diabetes. Os participantes do estudo também perderam uma média de 8,7 kg e reduziram seu tamanho da cintura, triglicérides e pressão arterial.

Em um estudo de 3 meses comparando uma dieta cetogênica com uma dieta moderada em carboidratos, as pessoas no grupo cetogênico fizeram uma média de redução de 0,6% na HbA1c. 12% dos participantes atingiram uma HbA1c abaixo de 5,7%, o que é considerado normal.

Acompanhe os outros dois posts que entrarão em nosso blog!

(Texto original Franziska Spritzler)

 

4M_CTA_eBook02_ReeducacaoAlimentar