Compulsão alimentar, distúrbio alimentar, relacionamento ruim com comida e etc. Existem assim como outros vícios como cigarro, álcool e etc.

Não é um fator binário e sim uma gama de graus diferentes de vícios. Desde o alcoólatra que bebe todo fim de semana, mas trabalha, tem família e uma vida aparentemente normal se não fosse o fato de não conseguir ter controle ou de se divertir sem álcool. O fumante, que fuma um ou dois cigarros, em certos momentos como após as refeições, sexo, bebida e os que fumam dois maços por dia.

Aí chegamos no alimento. Os obesos mórbidos que literalmente podem morrer a qualquer minuto e a garota que está no peso ideal mas é uma guerra mental diária para se manter. Em todos os casos a situação passa pela falta de controle. Aquele momento que não é você que decide se vai comer ou não. O brigadeiro em cima da mesa já tomou a decisão de ser comido.

Assim como tem um espectro que vai desde uma simples falta de acompanhamento inicial e orientação, até casos mais sérios que passa por autossabotagem, traumas e questões que devem ser tratadas com psiquiatras. Mas na minha experiência, o controle volta fortemente quando se consegue passar pela abstinência. É como a arrebentação de ondas em uma praia. Uma fase difícil mas que ao passar, um mar calmo nos espera. O que parecia ser uma tormenta muito grande, se normalizou rapidamente.

Vamos as dicas!

1. Auto aceitação

Pare de se comparar com os amigos que comem de tudo e não engordam ou as pessoas que comem um pouco de cada. Somos multifacetados e cada um tem seus defeitos e qualidades. O que você admira em outro, pode ser pouco perto do que outro admira em você. Aceite seus demônios para poder vencê-los. Fuja do vitimismo.

2. Entenda o que dispara a compulsão

Ninguém tem compulsão por alface, cenoura. Já ouviu alguém deprimido porque comeu muita salada de pepino? O problema está no açúcar, excesso de carboidratos, farinha de trigo, Fast food e alimentos super processados. Ficar sem eles porque lhe dá compulsão é um favor que você te faz. Sua saúde agradece.

3. Abstinência

Entenda que assim como qualquer droga, há uma fase de abstinência e com ela alguns sintomas ruins. É o corpo se adaptando. Neste momento que você precisa ter sangue nos olhos para seguir firme. Já ficou perto de uma pessoa que largou o cigarro na primeira semana? É difícil mesmo.

4. Vá com calma

Ao mesmo tempo não tente ser uma Musa fitness querendo mudar a alimentação, entrar em grupo de corrida, contratar personal trainer. Vá com calma. Uma coisa de cada vez. Senão quando você perceber que exagerou você larga tudo.

5. Tenha prazer no dia a dia

Ninguém vai longe com dietas restritivas. Sua alimentação deve ser seu novo estilo de vida com comidas boas e gostosas. Não tente recuperar tudo em pouco tempo. Você já sabe que não dá certo, não é mesmo?

6. Seja radical

Seja radical no começo no sentido de seguir o plano que você se propuser de maneira impecável. A cada dia se sentirá mais forte e sob controle. Se fosse um colega alcoólatra, você indicaria para parar de vez ou tomar uma cerveja de vez em quando? Se ele vai um dia tentar um equilíbrio bebendo um pouco, será no futuro depois de muito tempo sóbrio. Fuja deste equilíbrio neste começo. É uma época de mudança e seu corpo nunca vai adaptar se você o manter viciado com pequenas doses.

7. Dia do lixo

Na mesma linha, não caia nisso de refeição do lixo ou dia livre etc. Isso não é pra quem tem compulsão. Se você vai se permitir comer algo, vai ser a versão magra e saudável de você que mora no futuro.

8. Não foque na balança

Seu corpo é uma máquina de variar peso. Período pré menstrual, retenção hídrica, constipação, mudança de composição corporal etc. A maior ferramenta é sua mente, que deve estar focada e em paz. Não dê possibilidade de um objeto inanimado te tirar isso.

9. O que ninguém sabe, ninguém estraga

Por já tentarmos de tudo, sofremos com os incrédulos que estão perto de nós. Dizendo lá vem você com essas modas. Isso porque no passado sempre desistíamos. Então vamos evitar de sair divulgando por aí. Os sabotadores vão adorar ver você furando seu novo estilo de vida.

10. Procure apoio de profissionais atualizados e especializados

Assim como o AA, grupos de suporte que estão nesta caminhada juntos e nos entendem fazem muita diferença!

11. Bônus!

NUNCA DESISTA! VOCÊ VAI CONSEGUIR!

 

Coach Teco Mendes

4M_CTA_eBook03_CompulsaoAlimentar